terça-feira, 29 de setembro de 2009

INICIO MOVIMENTO BANDEIRA VIVA A BANDEIRA DA PARAIBA VAI MUDAR

SEJAM BEM VINDOS AO MOVIMENTO BANDEIRA VIVA E SEUS COMENTÁRIOS SOBRE A HISTÓRIA E A BANDEIRA DA PARAIBA.
BOA LEITURA!



O que você acha da bandeira da Paraiba ?


Você sabe o significado das suas cores ?

Quais fatores da bandeira da Paraiba REPRESENTA A SUA VIDA :
O luto de Joao pessoa ?
O nego misterioso de João Pessoa ?
ou o sangue de João Pessoa ?
antes de ler as vibrantes matérias me responda : Quais os fatores fazem de João Pessoa um heroi Paraibano ?
Veja as matérias e descubra coisas incríveis !

vamos nessa ?!



ATENÇÃO

Para Ampliar as letras dos textos segure a tcla (ctrl)e acione a tecla rotativa do mause as letras se ampliará, FACILITANDO A LEITURA. EXPERIMENTE!






video






Visite o nosso orkut e nos adicione, manifeste a sua opinião em nosso orkut da Bandeira.
Você pode encontrar o orkut da Bandeira pelo email : joilsondeassis@gmail.com
ou pelo seguinte endereço:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=ls&uid=17247136056413702402
obs.: só copiar e colar.
Participe desta idiologia de luz pois o bom da história é poder muda-la!













Você pode ligar pra nós, de preferência mandar uma mensagem de texto para nosso telefone: (083) 9158-0800 8892 4192 ou um e-mail: joilson.assis10@gmail.com
Para ver toda a página clik aton ou postais antigas, você também pode acessar com arquivo do blogger e se quiser ver muitas fotos da Paraíba acesse o endereço: http://fotosdaparaiba.blogsport.com - Você gostaria de viajar através das fotos?




video






Discurso do professor Joilson Assis feito para historiadores e estudantes.









































LEIA GRATUITAMENTE OS LIVROS DO PROF. JOILSON DE ASSIS
ACESSE OS ENDEREÇO E GANHE GRATIS DOIS LIVROS DE GRANDE SUCESSO.
HTTP://EVITARPROBLEMAS2.BLOGSPOT.COM
HTTP://FILOSOFIASILVA.BLOGSPOT.COM







Saudações a todos vocês, minhas considerações amigo Fuba e ao psicólogo João Nenes, aos políticos e estudiosos de Campina Grande e de toda Paraíba.
Para começar quero dizer a vocês que a Paraíba não tem bandeira legitimamente colocada que a represente perante todos. Temos que partir do discurso intelectualizado e pensarmos que a atual bandeira representar um homem e sua história e não povo fantástico e lutador que são todos os paraibanos. A Paraíba tem que despertar libertar-se do passado sombrio que assombra constantemente a cada "olhada" que damos para a bandeira. Não dá para cada paraibano querer se mostrar vivo inteligentemente tendo o principal símbolo do seu povo tão sombrio e cheio de morte e luto, que representa tempo bestalizante, nécio e inútil. Sim inútil, pois esse passado que muitos querem exaltar não passa de demonstrações de ambições particulares que em nada, repito em nada nos fez prosperar. Passado absurdo feito de heróico que contradiz tudo aquilo que aprendemos acerca da civilidade. Brigaram por impostos, cargos de deputados, pelo vice-presidente, brigaram por si mesmo e ainda tem alguns que insistem em dizer que tudo foi HERÓICO. Poderemos chamar todo o isso de piada é histórica.
O Movimento Bandeira Viva é um ideal que regamos constantemente para se tornar realidade. Queremos uma Paraíba livre das discriminações e de símbolos nécios como a tal bandeira. Respeitamos e amamos o nosso estado e não aceitamos que todo isto seja reduzido a uma historiazinha de pendengas em 1929 que em nada nos beneficiou. A Bandeira da Paraíba vai mudar, pois quando os paraibanos souberem da realidade da atual bandeira não aceitará ser representado por uma farsa histórica. A bandeira vai mudar, pois trabalharemos incansavelmente para explicar a banalidade do momento inútil vivido em 1929 entre politiqueiros.
Alguns acham coisa de doido mudar a bandeira da Paraíba, mas nós que fazemos o movimento bandeira viva achamos necessário demais mudarmos o principal cartão postal da Paraíba: a sua bandeira. Uma idéia regada se torna um ideal e é isto que temos em nossos corações. Chega de morte e luto, chega de nego, chega de mentiras repetidas para exaltação de um único ser. Seria João Pessoa e Jesus Cristo Paraibano? Viveremos para sempre presos a um nome de um cidadão e uma bandeira que o representa? Não! A Paraíba é bem maior que os bajuladores do poder de 1929, ela tem potencial de vida e não de morte. A maior glória de um paraibano é viver bem e não morrer em situação perigosa e duvidosa.
Queremos paz sobre a Paraíba e não A INVOCAÇÃO DE ETERNO CONFLITOS BIZARROS, PRÉ-HISTÓRICOS de políticos brucutus que pareciam tratores amassando os crânios de seus adversários políticos. Chega de tristezas e luto, estes fatores não representam a minha alma nem a sua. Necessitamos provocar um plebiscito e solicitarmos um concurso a nível estadual para uma nova bandeira da Paraíba. Anuncie esta idéia, fale e divulgue nosso blog, lute não aceita esta acomodação setentenária. Os políticos da Paraíba tem que pensar que o bem estar do cidadão começa pela alma deles, pelo seu estado de espírito que é representado por seus símbolos principais a bandeira e não somente ruas, estradas, comida e emprego.
... Agradeço a compreensão de todos e a presença de todos, termino dizendo, declarando com toda a minha força: A Paraíba terá uma nova bandeira e os noticiários trarão manchetes assim: Paraibanos decidiram mudar o nome da Capital paraibana e decidiram gerar uma nova bandeira - Paraibanos decidem em votação mudar a sua bandeira haverá um concurso para isto. Para muitos, isto é uma ilusão para mim é um ideal. Chega de discurso intelectualizado.





A vida política do magnânimo herói paraibano, presidente João Pessoa, chega a nos dá repugnação quando estudado nos seus detalhes reveladores. Na época de Joca , como era chamado pelos seus pares, a Paraíba tinha cerca de 75% de analfabetos e muitos dos chamados alfabetizados mau sabiam escrever seu próprio nome. A pobreza, associada a ignorância e desemprego formava o cenário perfeito para ascensão de figuras "patrióticas" do quilate de Joca, ou JP, como queira. Para dar um "empurrãozinho" de ladeira à baixo na sina do pobre, a política fiscal empreendida naqueles dois anos de administração desastrosa fez em 500%, arrasando com produtos e comerciantes (em sua maioria, interioranos). Fardos de algodão foram ditatorialmente confiscados sob os mais absursos pretextos. Bastava um fuxiqueiro de plantão insinuar que determinado produtor não coadunava com as "idéias droguessistas" de Joquinha da Porteira. O que dizer das diversas famílias tradicionais que aos poucos foram migrando para estados como Rio Grande do Norte e Pernambuco, tal a situação de insustentabilidade administrativa do Estado da Paraíba sob a batuta do grão mestre João Pessoa. Quantos funcionários públicos foram sumariamente demitidos sob as mais mesquinhas acusações, todas infundadas, é claro. Como explicar o cofre do Estado esvaziado mesmo com tamanha campanha de arrecadação tributária das porteiras estabelecidas à cada 20km? Não seria grande parte desses recursos captalizados para aquisição de armas e munições para fazer calar a voz dos opositores, ainda que esses tais fossem os próprios irmãos conterrâneos da cidade de Patos, Teixeira e Princesa Isabel? Óbvio que sim.
Essas investidas foram acompanhadas de muitas mortes e derramamento de sangue por todo o Estado, crimes que a polícia fazia questão de não averiguar. Mas é inegável o fato de que tenha se revestido de momentos hilários a exemplo do caminhão carregado de dinamite, missão malograda por causa do descuido dos próprios capangas que sofreram a explosão.
O Exterminador de Futuros continuava a sua incursão pelo Estado não poupando esforços para fazer valer seus intentos, já que não conseguiu ser vice-presidente da República, ninguém poderia sonhar também. Pasmem os senhores! Até aviões equipados com lanças gases estavam preparados para lançar ofensivas sobres as três cidades impenitentes. O futuro tornou-se incerto, pois se a guerra civil matava, o medo expulsava a quem quer que ousasse pensar de forma milimetricamente dispare do que a cartilha mandava.

Não restam dúvidas que um sem número de pessoas queria pôr um fim nesse episódio nefasto. E isto veio a se confirmar quando o advogado João Dantas, que teve sua vida publicamente exposta à vergonha pública, resolveu ir ao Recife encontrar-se como o Exterminador JP, pensando em acabar com aquele que acabara com sua honra. Deixa que JP, como que programando seus asseclas no Estado para os próximos dias, meses e anos que viriam continuarem com a saga, foi desativado definitivamente do reino dos humanos.
A notícia da desativação do exterminador trouxe revoltas irracionais na Paraíba. Com o estouro da Revolução de 30, a Paraíba que já era pobre virou miserável por ajudar a financiar o levante que contribuiria para o desmantelo do país fazendo subir ao poder Dart Weidder (Getúlio Vargas), pera aí, esse já é outro filme.
Texto: Joilson Assis








ATENÇÃO !

Para aumentar as letras deste livro basta segurar a tecla ( CTRL )do seu computador e mexer com o rotor( botão rotativo ) de seu mause e todo o texto se ampliará. Você poderá usar a tecla ( ctrl ) e clicar na tecla ( + ) desta forma as letras serão ampliadas . Experimente ! As letras ficarão do tamanho que você desejar


POSTULADOS DO MOVIMANTO BANDEIRA VIVA



Inicialmente, faz-se necessário um questionamento: Por que a bandeira da Paraíba deve mudar? Essa pergunta é o ponto de partida para lançarmos o postulado cujos pontos serão amplamente defendidos neste espaço, a saber: 1) Porque não representa a Paraíba nem os paraibanos, mas apenas um cidadão num dos momentos mais obscuro e triste da história, passado há muito tempo; 2) o Presidente João Pessoa, ator principal dessa peça encenada num cenário coronelista, nunca foi herói paraibano, nunca fez nada que justificasse tamanha honra e glória de ter uma capital com seu nome e uma bandeira com seu "sangue e luto" eternos; 3) Tudo começa com a construção ideológica que envolveu a suposta palavra "NEGO", que nunca existiu, tanto é que não existe documento algum que prove a autenticidade declaratória desse triste BRADO. O que a história tradicional relata como sendo o "brado heróico" é, na verdade, uma manobra interesseira de cunho estritamente político-partidário; 4) Registros documentais da época (1930) deixam claro que havia um desequilíbrio mental no senhor João Pessoa, razão de tantos disparates envolvendo sua história política e social de deixar perplexos qualquer que os examinar. Por exemplo, uma declaração do senhor Joaquim Pessoa, portanto, irmão de João Pessoa, corrobora essa afirmativa. "Ele é louco e desequilibrado" (Fonte: Parbahyba, 1930 - a verdade omitida, autor: Flávio Eduardo Maroja. Editora Sal da Terra, ano 2008). Essa fonte é altamente recomendada àqueles que desejam aclarar essa obscuridade histórica; 5) O suposto herói, ou digamos, o "fürer paraibano" João Pessoa foi quem comandou uma verdadeira batalha contra seus opositores políticos. O ranço não se limitava a trocas de acusações, mas sim a uma política de execução sumária. Ele, utilizando-se de mão de obra gratuita (os presos mais odientos de então) soltos, sob promessa de que se exterminassem os desafetos alistados para morrer ganhariam total liberdade. O que foi seguido à risca pelos sequiosos por sangue. As vítimas mais ilustres eram as famílias tradicionais como os Dantas e os Pereiras, as cidades assoladas foram Patos (Totalmente incendiada pelas tropas de seu João Pessoa) e Teixeira (Que na surdina da noite, quando todos dormiam, foi atacada impiedosamente. Seus habitantes surrados, torturados e mortos). Que HERÓI temos nós!!! E que lição de orgulho podemos ostentar em nossa bandeira?; 6) Se a história tradicional elege heróis para torná-los memoráveis através dos símbolos do Estado, pode alguém que não seja movido pela emoção ou laço familiar elencar os tais feitos heróicos do senhor JP?; 7) A Bandeira da Paraíba é única do gênero. Em toda a Federação não há bandeira que inspire ares de negativismo, atraso, pesar melancólico e desordem estética como esta. O injustificável "NEGO" é símbolo de fixação ao velho, mordaças psicológicas que prendem e oprimem rechaçando toda tentativa de mudança. Se o tal "NEGO" dá Bandeira da Paraíba fosse em razão das lutas sangrentas das ligas camponesas contra o sistema oligárquico opressor que tinha nos coronéis seu principal agente teríamos orgulho em ostentá-la; 8) A Bandeira da Paraíba realça, em suas cores, apenas o lado miserável do Estado, em sua história, apenas o lado subserviente da pobreza. Em suas cores lhe falta a vivacidade e orgulho do povo paraibano, a coragem do homem do campo, do sertanejo forte, o empreendedorismo de uma gente que faz. Cadê a representação de nossas riquezas e glórias? Não as vemos simplesmente por causa de uma ideologia vencida que insiste em viver nos novos tempos com os pés no passado sombrio; 9) Depois de escradrinhada a vida pública de JP não se encontra nenhum ponto digno dessa honraria, nada relevante ao ponto de torná-lo o eterno representante do povo paraibano. É como se - seguindo esses mesmos critérios - , escolhessemos Lampião para ser o "representante vitálicio dos salvadores do Nordeste". Num de seus atos administrativos mais célebre da história de sua regencia política , ele simplesmente, movido por querelas pessoais, baixou decreto criando novos impostos para somar aos já existentes sufocando a produção interiorana; cometeu arbitrariedades de todo gênero, saltou pressos e os pôs a seu serviço; 10) Por fim, a atual Bandeira ocupa lugar indevido no mastro. Primeiro porque não houve consulta pública, o povo foi excluido desse processo; segundo, porque houve interesse determinado ao ponto de mesmo diante da rejeição desse atual modelo pelos legisladores opinando pelo veto ao projeto, mesmo o sr. Govenandor Álvaro de Carvalho também se opor a mudança, foi vencido pelos asseclas fundamentalistas do finado João Pessoa, cassaram o veto e aprovaram a bandeira rubro-negra e seu "NEGO".





Vida e luz sejam sobre todos.

Mande um torpedo para o Professor Joilson: (083) 9158-0800
Clique no arquivo e depois veja todas as matérias deste blog.





Discurso do professor Joilson Assis feito para historiadores e estudantes.

Saudações a todos vocês, minhas considerações amigo Fuba e ao psicólogo João Nunes, aos políticos e estudiosos de Campina Grande e de toda Paraíba.
Para começar quero dizer a vocês que a Paraíba não tem bandeira legitimamente colocada que a represente perante todos. Temos que partir do discurso intelectualizado e pensarmos que a atual bandeira representar um homem e sua história e não povo fantástico e lutador que são todos os paraibanos. A Paraíba tem que despertar libertar-se do passado sombrio que assombra constantemente a cada "olhada" que damos para a bandeira. Não dá para cada paraibano querer se mostrar vivo inteligentemente tendo o principal símbolo do seu povo tão sombrio e cheio de morte e luto, que representa tempo bestalizante, nécio e inútil. Sim inútil, pois esse passado que muitos querem exaltar não passa de demonstrações de ambições particulares que em nada, repito em nada nos fez prosperar. Passado absurdo feito de heróico que contradiz tudo aquilo que aprendemos acerca da civilidade. Brigaram por impostos, cargos de deputados, pelo vice-presidente, brigaram por si mesmo e ainda tem alguns que insistem em dizer que tudo foi HERÓICO. Poderemos chamar todo o isso de piada é histórica.
O Movimento Bandeira Viva é um ideal que regamos constantemente para se tornar realidade. Queremos uma Paraíba livre das discriminações e de símbolos nécios como a tal bandeira. Respeitamos e amamos o nosso estado e não aceitamos que todo isto seja reduzido a uma historiazinha de pendengas em 1929 que em nada nos beneficiou. A Bandeira da Paraíba vai mudar, pois quando os paraibanos souberem da realidade da atual bandeira não aceitará ser representado por uma farsa histórica. A bandeira vai mudar, pois trabalharemos incansavelmente para explicar a banalidade do momento inútil vivido em 1929 entre politiqueiros.
Alguns acham coisa de doido mudar a bandeira da Paraíba, mas nós que fazemos o movimento bandeira viva achamos necessário demais mudarmos o principal cartão postal da Paraíba: a sua bandeira. Uma idéia regada se torna um ideal e é isto que temos em nossos corações. Chega de morte e luto, chega de nego, chega de mentiras repetidas para exaltação de um único ser. Seria João Pessoa e Jesus Cristo Paraibano? Viveremos para sempre presos a um nome de um cidadão e uma bandeira que o representa? Não! A Paraíba é bem maior que os bajuladores do poder de 1929, ela tem potencial de vida e não de morte. A maior glória de um paraibano é viver bem e não morrer em situação perigosa e duvidosa.
Queremos paz sobre a Paraíba e não A INVOCAÇÃO DE ETERNOS CONFLITOS BIZARROS, PRÉ-HISTÓRICOS de políticos brucutus que pareciam tratores amassando os crânios de seus adversários políticos. Chega de tristezas e luto, estes fatores não representam a minha alma nem a sua. Necessitamos provocar um plebiscito e solicitarmos um concurso a nível estadual para uma nova bandeira da Paraíba. Anuncie esta idéia, fale e divulgue nosso blog, lute não aceita esta acomodação setentenária. Os políticos da Paraíba têm que pensar que o bem estar do cidadão começa pela alma deles, pelo seu estado de espírito que é representado por seus símbolos principais a bandeira e não somente ruas, estradas, comida e emprego.
... Agradeço a compreensão de todos e a presença de todos, termino dizendo, declarando com toda a minha força: A Paraíba terá uma nova bandeira e os noticiários trarão manchetes assim: Paraibanos decidiram mudar o nome da Capital paraibana e decidiram gerar uma nova bandeira - Paraibanos decidem em votação mudar a sua bandeira haverá um concurso para isto. Para muitos, isto é uma ilusão para mim é um ideal. Chega de discurso intelectualizado.

Vida e luz seja sobre todos.

Mande um torpedo para o Professor Joilson: (083) 9158-0800
Clique no arquivo e depois veja todas as matérias deste blog.



CLIQUE NA FOTO E AMPLIE






CLIQUE NA FOTO E AMPLIE




MOVIMENTO PARAÍBA CAPITAL PARAYBA
MOVIMENTO BANDEIRA VIVA UM SÓ IDEAL:

Comentários do professor Joilson de Assis e do psicólogo João Nunes.

Prof. Joilson – O movimento Paraíba capital Paraíba é um excelente movimento, corajoso feito por diversas pessoas de níveis elevadíssimos: cultural, intelectual, liderado por um idealista Flávio Marajó Ribeiro, o Fubá, que tem demonstrado muita coragem mesmo em meio a inúmeras ameaças que sofreu e vem sofrendo devido os seus pensamentos de mudança.
Psicólogo João Nunes – o movimento Paraíba capital Paraybana vem crescendo e tento apoio de diversas áreas da sociedade inclusive o nosso apoio total as suas idéias e ações. Movimento Bandeira viva apoio as idéias do movimento Paraíba capital Parayba e vamos nos unir em uma cruzada a nível de estado para levar os paraibanos o conhecimento que lhes foi ocultado no passado.
Pja. – Sim, é claro João Nunes, os movimentos são irmãos e vieram de uma mesma placenta e útero. Temos o mesmo brado: Mudança. Queremos ver as bajulações dos politiqueiros de 1929 chegar ao fim e não haver mais barganha histórica e política com fatos banais exaltados e santificados por alguns da elite para agradar a elite.
Pjn – Fuba tem razão professor Joilson de Assis, quando declara que houve uma espécie de golpe para mudar o nome da capital sem a consulta popular que se fazia necessária em um ato de tão grande importância. Veja professor Joilson que quase um milhão de pessoas são chamadas, identificadas pelo nome de João Pessoa. Você nasceu aonde, vive aonde e vai para aonde? João Pessoa, João pessoa, João Pessoa. Foi uma bajulação histórica sem medida.
JA - claro que sim por isso queremos mudança. Os livros de Flávio Maroja Ribeiro, Fuba, chamado Paraíba 1930. A verdade omitida é um livro precioso para aqueles que querem saber da verdade. O livro psicólogo João Nunes é rico em informações e detalhes daquela época que muitos faziam questão de ocultar. A conselho a todos os movimentos bandeira viva a procurar e ler o excelente livro de Fuba que já está nas melhores livrarias da Paraíba.
JN - Professor Joilson de Assis ,declaráramos a todos que a atual bandeira da Paraíba é discriminatória e faz diferença excluindo o povo do interior do Estado como os habitantes de Campinas Grande, Patos, Teixeira, Princesa, Santa Luzia, Desterro, Taperoá, Itaporanga, Coremas, Areias, a lagoa Grande, Guarabira e muito os outros lugares de expressiva importância que na época não passavam de meros espectadores sem poder opinar. Fomos excluídos na decisão da mudança da bandeira e do nome da capital.
JA - A cidade de João Pessoa de Albuquerque é Umbuzeiro e não a capital de nosso estado. deveriam mudar o nome de Umbuzeiro e não da capital do estado da Paraíba. Veja que o Rio Grande do Sul não mudou o nome de sua capital para Getúlio Vargas nem colocou seu sangue de seu suicídio na bandeira. Será que eles são mais sábios que nós ou temos a sabedoria superior a deles? A pessoa principal da revolução de (30) trinta foi Getúlio e não teve esta honra toda. Jn – É verdade professor Joilson, foi uma bajulação exagerada ao ponto de ser até um pouco cômica. Aclamamos a luz na nossa bandeira e não o luto, queremos unir forças e nada melhor que o grande grupo do movimento Parayba capital Parayba para em união desmentirmos estas inverdades cantadas e poetizadas durante anos.
JA – As cidades de Patos no alto sertão da PB, Teixeira, Cajazeiras a cidade do estudo, da leitura, Souza a cidade Féril e muitas outras cidades se manifestarão contrária a mentira que os politiqueiros de 1929 criaram, pois as reduziram a cangaceiros como o governador João Pessoa apregoava abertamente jogando a capital contra o interior do Estado.







HISTÓRIA DA PARAÍBA FOTOS CIDADE DE PRINCESA ISABEL

Viagens do professor Joilson de Assis a cidade histórica de Princesa Isabel.
Professor viaja para a princesa algumas vezes com a intenção de conhecer essa cidade tão comentada pelos historiadores quando falavam dos eventos de 1929 e 1930. A viagem é belíssima, o relevo, as pedras e montanhas uma maravilhosa trajetória para qualquer viajante. Registrarei cada detalhe e cidades que foram passando como Solidade, Taperoá, Jurú, Tavares, Desterro, a histórica cidade de Teixeira e muitas outras cidades que encontramos pelo caminho que nos encantaram com a beleza delas, a limpeza e o povo lindo e acolhedor. As fotos foram tiradas sem montagens alguma nem maquiagem, apenas disparei a máquina. Você vai ver as fotos desde a rodoviária de Campina Grande agrega até a cidade princesa Isabel. Foram tiradas fotos do centro da cidade. O palácio dos Pereira, o castelo que foi totalmente fotografado por dentro e por fora. As ruas e o povo foram alvos de minha câmera curiosa. Fotos antigas de princesa Isabel foram copiadas por minha máquina que dão uma idéia do que foi princesa de 1929 e a de hoje, uma cidade de pleno crescimento. Venha comigo a Princesa Isabel a terra do coronel José Pereira de Lima e viaje através das fotos. A cidade Princesa Isabel no interior da Paraíba é uma distância de cerca de 600 km da capital e tem um povo acolhedor, amigo, educado e cheio de memórias. O povo que gosta de lembrar, de guardar as memórias, se uma vez você for à cidade Princesa, certamente não sairá da memória dela!
Centenas de fotos da cidade de Princesa Isabel - Viagem através das imagens:
Para ver as fotos você tem que acessar o blogger de fotos do Movimento Bandeira Viva: http://fotosdaparaiba.blogsport.com - Você vai gostar muito de viajar através das fotos.





ASPECTOS POSITIVOS E NEGATIVOS DE JOÃO PESSOA DE ALBUQUERQUE

ASPECTOS NEGATIVOS DE JOÃO PESSOA


- TENTOU MATAR O PAI DUAS VEZES
- ERA INIMIGO DE SEUS PRIMOS E IRMÃOS
- PEGOU SÍFILIS NA CABEÇA E FICOU EM COMA, ALGUNS ACHAM QUE POR ISSO ELE ERA CHAMADO POR SEUS IRMÃOS JOAQUIM PESSOA DE LOUCO E DESEQUILIBRADO
- ASSIM QUE ASSUMUI O GOVERNO ALIMENTOU E CRIOU NOVOS E INCONSTITUCIONAIS IMPOSTOS O AUMENTO CHEGOU A 500%
- COLOCOU PORTEIRA A CADA 20 km COBRANDO IMPOSTOS.
- COMEÇOU A EXPULSAR FUNCIONÁRIOS ANTIGOS SEUS A ACUSAÇÃO DE ROUBO MESMO SEM PROVAS.
- MANDOU PRENDER E SURRÁ PESSOAS.
- POLITICAMENTE E PESSOALMENTE SE TORNOU INIMIGO DE TODOS OS AMIGOS DE SEU TITIO EPITÁCIO, QUE O AJUDOU A SE ELEGER.
- JOÃO PESSOA QUERIA SER VICE PRESIDENTE DA REPÚBLICA NÃO CONSEGUIU ENTÃO PASSOU A PERSEGUIR OS NÃO VOTANTES DE GETÚLIO VARGAS.
- MANDOU SOLTAR PRESOS PARA EXTERMINAR OS SEUS DESAFETOS
- ESVAZIOU OS COFRES SOBRE O PRETEXTO DE DESTRUIR OS “CANGACEIROS” DE PRINCESA ISABEL E DO INTERIOR DO ESTADO.
- ERA CONTRA OS RELIGIOSOS NO PODER, OS CHAMAVA DE COROLAS. TENTOU DESESPERADAMENTE TIRAR a frase: “EM NOME DE DEUS” DA CONSTITUIÇÃO” SERÁ QUE ELE ERA “ A BESTA FERA”?
- JOGOU A CAPITAL CONTRA O RESTO DO ESTADO
- TINHA UM DISCURSO PREPOTENTE E NÃO BUSCAVA O ACORDO
- GOSTAVA DE PICUINHA E UTILIZAVA, A TODOS INSTANTE O JORNAL UNIÃO PARA ACUSAR OS SEUS PRIMOS PESSOA DE QUEIROZ DE LADRÕES, DESONESTOS, ETC.
- COMPROU CAMINHÕES DE DINAMITES PARA EXPLODIR OS SEUS DESAFETOS POLÍTICOS.
- MANDOU SURRAR OS SEUS INIMIGOS E PRENDÊ-LOS
- CONTRATOU MERCENÁRIOS PARA MATAR OS SEUS DESAFETOS POLÍTICOS. HOMENS CUJO AS QUALIFICAÇÕES BASTAVA TER O CURRICULUM DE SANGUE.
- NEGOU VERBAS AO INTERIOR E CONCENTROU FORÇAS SÓ NA CAPITAL. AS VERBAS ERAM SÓ PRA CAPITAL COM PRETEXTO DA REFORMA DO PORTO DE CABEDELO.
- MUITOS FORAM MORTOS POR OUSAREM A FAZER OPOSIÇÃO AO DIVINO JOÃO PESSOA ALGUNS DESAPARECERAM.





- ASPECTOS POSITIVOS DA VIDA DO PRESIDENTE JOÃO PESSOA

- MORREU!











OS CORONÉIS DA PARAÍBA

Fomos criados sobre vários ensinamentos que merecem ser revistas. Vários aspectos negativos da nossa cultura paraibana.
Um dos ensinamentos errados que muitos seguiram no passado da PB era o fato que só os coronéis sabiam das coisas. Quantas filhas e filhos de pobres foram surrados porque simplesmente queriam estudar. “Sabendo ler uma carta e ler o nome tá bom demais, não fiz filho para ser doutor não! Era assim que muitos simples pensavam dando sementes aos coronéis o destinos de suas vidas. Assim os PBS deixaram suas vidas nas mãos dos poderosos coronéis. Eles queriam que pensássemos Apenas em Comer e Trabalhar como um animal qualquer que come para trabalhar e trabalham para comer. Enquanto os filhos de “papai” estudavam para mandar, comandar, os pobres aprendia a ser obedientes honestos e a trabalhar para comer e comer pra trabalhar, esta cultura esteve a muito tempo entre os paraibanos que aprenderam a não aprender e deixar o conhecimento para os coronéis. Para eles esta realidade era muito boa para os mandatários que formavam seus filhos para mandar e não permitia o progresso dos simples para gerar súditos.
Ainda existe coronelismo na Paraíba, eles dizem que ninguém a não ser um historiador pode compreender a história da Paraíba será que somos “tampados” assim? Só uma meia dúzia de coronéis do saber com seus livros debaixo do “sovaco” podem compreender os fatos. São eles os cavaleiros e nós os cavalos esta cultura acusava e discriminava qualquer um que quisesse ser sábio. Pia Zé só que ser aprendido vai trabalhar vagabundo.” Quem foi nesta onda se “lascou” e mal passa de uma peça de manobra de coronéis letrados.
Somos capazes de pensar sozinhos sem a intervenção dos coronéis do saber, você é capaz. Mas os coronéis do saber dizem não! Vocês só conseguem pensar conosco. Somos capazes de olharmos para esta bandeira e criarmos uma opinião sobre ela sem necessitamos dos coronéis do saber e do poder. O Paraibano simples foi ensinado a não pensar a deixar outro pensar e decidir por ele. E, muitos coronéis pensam assim, para que os paraibanos não pensem na Paraíba e na sua bandeira? “Vão pensar “pé rapados” em trabalhar para comer e comer para trabalhar.” Como animais temos que aceitar o que é nos impostos?
Os paraibanos têm capacidade sim de pensar, de ter idéias independentes dos coronéis do saber.











EM 1929 EXCESSO DE BAJULAÇÃO NA PARAÍBA MENTIRAS E EXAGEROS NA BANDEIRA DA PARAÍBA
O presidente João Pessoa representava um corrente política que estava em uma certa decadência devido o tempo e o desgaste natural. Foi um péssimo governo que durou apenas um ano e nove meses causando intriga até mesmo entre os irmãos do governador Joça e seus primos eram ferrenhos inimigos dele. Ao contrário de São Paulo e Rio de Janeiro que acolhiam emigrantes Joça expulsava paraibanos de incríveis dna´s que iriam nos servir bastante. Mas a morte de João Pessoa o transformou em um herói, endeusado pelos amigos da aliança liberal que fizeram dele um cavalo de batalha para esmagar os seus inimigos.
Dizer que João Pessoa foi herói é declarar algo que não poderá ser provado. Dizer que ele foi um bom governo é mentira, pois nada significativo deixou, só sangue e brigas políticas. Dizer que foi por causa de joca que a revolução de trinta estourou é uma inverdade, pois ela iria acontecer independente dele, pois ela iria acontecer independente dele e não passou de ser revolução bestalizante aonde muitos morreram por nada, por burgueses querendo escapar da crise da bolsa de Nova York a qualquer custo. A crise iniciada nos Estados Unidos com a quebra de Nova York estava enlouquecendo os políticos brasileiros e sua burguesia que fugiam da crise, da queda de preços do café e outros produtos que despencaram. Todos corriam atrás do dinheiro e os jornais dominados por uma minoria manobravam o povo analfabeto que acreditavam em tudo que o rádio e o jornal dizia. Afinal com o golpe muitos empréstimos gigantescos foram perdoados e outros dados cordialmente.
Disseram que Joca exclamou: NEGO, mas nunca conseguiram provar a existência real deste brado, nada escrito, nada documentado. Mas além de mentira o nego representa apenas o interesse a pessoa de João Pessoa em ser vice presidente da República e não algo que possamos nos orgulhar. Foi interesse dele e de seus partidários; Pois a política do café com leite já se desmanchava naturalmente já que Getúlio era o candidato do Rio Grande do Sul e não pertencia ao café com leite, era apenas manobras políticas.
Disseram que Joca foi morto por motivos políticos mentindo novamente já que João Dantas não pertencia a nenhum partido, nem tinha passado violento, nem entrada na polícia. Foi por questões pessoais. Joca mandou surrar o primo de João Dantas deixando moribundo na prisão sem motivos ou acusações, invadiu as terras de seus parentes e atacou a sua honra no jornal união colocando as cartas de sua namorada que contava assuntos ou fantasias íntimas dos dois. Mentiram e quase todos acreditaram. Mentiram tentando dizer que João Dantas, Augusto Caldas e Anaylde Beriz se suicidaram, seria muitíssima coincidência. Mentiram novamente. Em poucos dias inflamaram o povo expulsaram os deputados contrários a eles e suas bajuladoras idéias das sessões colocando assim na calada da noite um projeto que mudou o nome da capital da Paraíba e a sua bandeira. Foi vetado o projeto, mas os bajuladores de plantão não desistiram e quebraram o veto do presidente Álvaro de Carvalho colocando sobre o nosso estado uma bandeira de sangue luto e nego de um pseudo Jesus Cristo paraibano. Muitos lucraram com isto e os contrários se acuaram devido a ameaça de morte que existia no ar. Bastava alguém dizer que “Fulano” não apoiava o grande herói paraibano para uma turba louca e cega de sangue invadir suas casas com paus e pedras matando e destruindo patrimônios de vidas inteiras. Até o grande João Suassuna foi assassinado por que alguém suspeitava de sua culpa ou envolvimento.
Foi excesso necio dos mais bizarros o ato da super homenagem a João Pessoa. Mudar o nome da capital e a bandeira de um estado só porque um partido acredita no heroísmo daquele que eles mesmo fabricaram. Poupe-me foi um “BABADA” histórica não somente a uma pessoa mas a um partido, a uma aliança, a sanguinária aliança liberal. João Pessoa com certeza teve os seus méritos e até reconhecemos isto, mas o que foi feito representa um exagero, uma astúcia histórica que nem o estado de Getúlio fez com ele já que o personagem principal foi ele em todos os sentidos. Mentiras, exageros insultam a nossa inteligência, pois quem muito se abaixa aparece-lhes as calças.





Todos e tudo tem um passado. Ás vezes este passado é ruim, as vezes bom, as vezes inúteis mas há uma tendência de gerarmos a estes alguma utilidade para não gerar um idéia vaga de impossibilidade, abestalidade ou algo parecido. O exemplo geramos razão quando alguém leva uma queda na lama, para que este momento não seja inútil logo surge em nós os pensamentos como: Era necessário eu passar por esta queda mesmo; graças a esta queda eu aprendi isto ou aquilo; glória seja dada a esta queda... Foi isto que aconteceu na Paraíba, uma tremenda queda... Que intelectuais bajuladores de JP tentam desesperadamente dar sentido lógico razão. Queremos que tudo que fizemos no passado tenha alguma utilidade mas infelizmente muitos de nossos atos são inúteis quando não danosos que causam atraso. A Revolução de 1929 na PB e 1930 no Brasil não passou de uma revolta besta, inútil que mais destruiu do que nos fez construir alguma coisa. Quando as discussões bestas saíram das praças e foram para o campo de batalha aonde foram assassinados sonhos e futuros em nome de ambiciosos pelo poder notamos que muitos, muitos mesmos não passaram de peças de manobras ordenadas por migalhas, alguns contos de reis pingados que as vezes os jacu nem mesmo recebiam porque morriam.
A bandeira da Paraíba invoca um passado bestalisante inútil que representava apenas interesses de alguns burgueses em manter e ganhar mais poder e dinheiro. Joca com raiva porque não conseguiu ser vice presidente da república, Getúlio Vargas “Seco” pelo poder apregoava a revolução, os paulista acreditavam na democracia para manter o seu poder que perdera com a queda do preço do café e a queda da bolsa de Nova York. O tenentismo querendo tomar o poder com as armas e alguns pobres e miseráveis querendo simplesmente comer tendo um soldo de soldado. É, esta revolução foi como uma tremenda dor de barriga, quando olhamos para trás só vemos... Esta é a nossa glória ou uma desgraça política passada que deve ser esquecida? Alguns querem dar valor a algo inútil: Mortes de pobres coitados pela idéias de burgueses gordos ambiciosos. Quantos da elite morreram nesta guerra de princesa? Quantos? UHUMM! Se alguns tem peninha pela morte de joca quantos não morreram por seu mandado em vida? Será que só a morte de burgueses apadrinhados por outros de sua parentela tem alguma importância? Os assassinatos cometidos em seu nome de nada têm valor? É talvez só o sangue burguês tenha realmente valor para alguns. Os pobres jacu contratados em nada seja importante, afinal era apenas um bando de pobres Paraíbas!
Fico a imaginar, será que sou louco ou burro, talvez os dois pois não encontrei importância real nesta guerra de princesa e na revolução de trinta aonde um ditador que depois de algum tempo fechou o congresso. O que me deixa admirado é a importância que alguns deram a atos imbecis para não dizer inútil, banal, e outras coisitas. O Grande nego que nunca existiu é clamado como um grito do Ipiranga paraibano; a morte de joca algo heróico. Heróico? Supostamente ele foi comprar armas para matar os seus irmãos mas estava só com o motorista, uma jóia no bolso que cheirava a perfume feminino. Será que joca tinha um caso com a cantora lirida Cristina maristany? Eu não vejo heroísmo nisto, nada de importante, apenas um governador querendo dar uma... namoradinha. A nossa bandeira denuncia a manobra de alguns que até hoje permanece “Abanando” a nossa cara insultando a nossa capacidade de entendimento. A capital que era Paraíba, braço de mar se tornou João Pessoa o nome de um suposto herói fabricado, santificado como o Jesus Cristo paraibano para proteger as elites e “Lascar” os demais que foram e às vezes, penso que ainda são peças de manobra. Exaltam alguns os terríveis impostos cobrados por joca como algo maravilhoso e até pesadas ofertas dada ao Rio Grande do Sul para a guerrilha ser afirmada são exaltadas. Um estado pobre, na época, beirando a miséria cobrar impostos altíssimos de pobres coitados, que queriam vender suas cargas ou apenas utilizar o chãozinho da feira ser um ato de heroísmo, maravilhoso, é um ato digno do troféu Girico. É um tiro no pé, é exaltar aquele que cortou a nossa cabeça, que pisa sobre nós. Será que estes paraibanos bajuladores de joca e sua bandeira são masoquistas? Bate que eu gosto, pisa que eu suporto!
Presos através de uma bandeira nécia e incompreensível a um passado sombrio, negativo, inútil queremos demonstrar através de uma bandeira de sangue e luto a nossa vida. Será que o brilho da vida dos paraibanos está no sangue de joca o todo poderoso ou talvez no eterno luto? O nego poderá ser uma frase tão intelectualizada que nós os paraibas não alcancemos a altura desta imansa frase? Oh! Nego, nego eu disse neee gggg oooo! Eita! danado que profundidade, chegando ao útero de nossa alma paraibanizada. Será que esta palavra é transcendental ou foram os ets que disseram para joca, talvez uma revelação de Nostradamus. Talvez eu precise estudar uns dez anos na universidade para compreender o sentido do incrível NEGO ou SERÀ NEGO eis a questão. Se os grandes pensadores do passado estivessem vivos eles iriam dizer: Nego ou não nego eis a questão?
Esta realidade tem que mudar, você não poderá acomodar-se com esta bandeira de mentiras e falcatruas, manobras, precisamos de uma bandeira viva e não de uma mortalha.
Daí a Joca o que é de Joca! Nego






Realmente uma bandeira é uma marca registrada, uma e a mais importante das marcas que representam um povo. Colocamos na marca registrada características de UM POVO, algo elogiável, aplausível de boa fama que nos faça propaganda. Mas a nossa bandeira, aquela que foi colocada a força “guela” a dentro de todos os paraibanos é pobre no quesito representatividade. O vermelho é o sangue de João pessoa ou como alguns querem fugir desta realidade dizem que representa as cores de uma aliança partidária chamada aliança liberal que foi sanguinária e feroz. O preto o eterno e sombrio luto do Jesus cristo paraibano João Pessoa e para arrebentar a nossa representatividade o GRANDE BRADO QUE NUNCA EXISTIU O NEGO OU NÉGO. Os babões de JP ainda acharam pouco e mudaram o nome da capital paraibana. Que marca em tudo que tem na bandeira da Paraíba representa UM ÚNICO HOMEM. Será que a Paraíba e feita de um único homem? Todos os símbolos contido na bandeira esta relacionado a morte, a sombras tristes de um passado minúsculo e inútil. A nossa bandeira sem duvida nenhuma é pobre demais para representar a riqueza de nosso povo grande e importante. Temos que mostrar ao mundo e a todos que olhar a nossa bandeira que temos coisas mais importante do que sangue, luto e nego de um ÚNICO HOMEM. Mesmo que João Pessoa fosse um herói não mereceria tal honra de ser invocado constantemente Exemplo: Você é da onde? De João Pessoa. Você nasceu aonde? Em João Pessoa. Qual a sua bandeira? A bandeira de João Pessoa. Paciência em?! Francamente esta bandeira é algo que não posso nem dizer devido a censura. Será que as nossas autoridades não vêem isto? Estamos constantemente anunciando a cada “Balançada” a morte de um homem e não a nossa vida, a nossa existência como povo que somos.
Esta marca registrada, ou seja, que não foi registrada porque foi rejeitada pelo governador Álvaro de Carvalho, é puro sangue e negatividade. Pense comigo, exaltaremos alguém que 80% da população não sabe quem foi? Se fosse hoje você colocaria esta bandeira para nos representar? Parece que os bajuladores de João Pessoa querendo comer um pouquinho do poder dominante extrapolaram os limites e nos entregaram a pura negatividade, inútil e banal. Fizeram da bandeira uma mortalha cheia de restos mortais de defuntos que não mudaram nada, que não nos trouxeram prosperidade alguma. Esta é uma triste realidade da bandeira da Paraíba. Os babões de JP alegam o CLAMOR POPULAR para justificar a mudança da bandeira e do nome da capital mas morrendo hoje qualquer político forte da nossa Paraíba haverá um clamor, sim admiradores, curiosos formarão uma multidão nas ruas e nem por isso mudaremos o nome da capital nem a nossa bandeira. Parece que estes bajuladores nunca viram um enterro de rico? Ficaram admirados com a morte de um único homem que mandou matar as centenas. Que coisa em, nunca viram um enterro “ombrosio”? O mais interessante é o resultado de toda esta bagunça política, sabe qual foi? NADA. Cofres vazios mesmo depois de tantas cobranças exageradas de impostos. Cadê o dinheiro? Getúlio Vargas representante das elites e apelidado amigo dos pobres (quando cachorro era preso com lingüiça) não fez nada de significante para a Paraíba, os pbs continuaram com suas trouxas de pano nas rodoviárias comendo frango com farinha, viajando em busca do el dourado do Rio de Janeiro. Nada há que justifique esta bandeira de sangue e dor. Nem as multidões com a “veinhas” rezando o terço andando pelas ruas da capital como um show particular de santificação do profano atrás de um esquife duas vezes furado. É o bom de tudo isto foi o enterro, veja que coisas lindas rosas, políticos babões, puxa sacos chorando enquanto ele foi enterrado no Rio de Janeiro aonde realmente morava e estava seus parentes estudando nos melhores colégios da região. A sua mulher só veio duas ou três vezes na pb. Mas os puxa sacos não aceitaram o enterro de João Pessoa eles jogaram o seus esquife em nossa bandeira e graças a ela João Pessoa é o paraibanos mais conhecido de toda história. Antes dele não houve e depois dele não haverá? Será? Será que ele é o alfa e o ômega da Paraíba? O Shiva, o brama, talvez o buda da Paraíba. Olha, até os parentes de João Pessoa nem lembram dele mas a sua sombra perturba a bandeira e a capital. Será que João Pessoa seria um maitreia paraibano? Deveríamos deixar ele executar mais pessoas para seu heroísmo aumentar sobre os sangues e tripas derramadas no chão? Esta é a nossa marca: MORTE?
Eu tenho a certeza que esta realidade mudará quando os paraibanos souberem desta história e a nossa marca registrada será de vida e luz e não de trevas e luto.







Existem mortes que são mais lucrativas do que a vida toda do indivíduo que morreu, trazendo as seus amigos muitas vantagens foi o caso da morte de João Pessoa. Segundo denúncia o supremo que inclusive salvou a vida dele no parar quando ele teve uma sífilis que subiu para a cabeça, mas depois se tornou inimigo seu a renda de Jp em menos de dois anos subiu de 200 contos de reis para dois mil reais declarados fora àqueles que não foram declarados segundo o próprio primo. Pereira anuncia também que, logo após a morte de jp sua casa foi visitada por Joaquim Pessoa, aquele irmão de João Pessoa que acusava de ser louco e desequilibrado, temperou em sua casa em nome de buscar provas acerca da sua participação na morte de jp. Ele deixou a polícia fora da casa e quando saiu levando sacos de "Provas" deu a ordem para que a polícia entrasse e foi embora. Os soldados entraram saquearam resto do que sobrou e depois tocaram fogo na casa para cobrir rastros. Segundo João Pessoa de Queiroz, Joaquim Pessoa Cavalcante de Albuquerque irmão de Joça levou uma fortuna em jóias, ouro e dinheiro e que a polícia de jp levou que podia depois destruindo patrimônio construir lá muito suor. Que busca de provas em? Estas buscas acontecem em todo o estado e famílias ficaram pobres do dia para noite e outras enriqueceram com as terríveis provas que encontraram.

Para aliança liberar a morte de João Pessoa foi uma bênção de Deus a desculpa para eles matarem seus inimigos políticos assustarem outros e assumir o poder através das armas para. EITA! Além disso, o transformaram em um santo protetor, qualquer um que se levantasse contra eles logo era acusado da morte do venerável ou venerável paraibano santificado. Foi uma baleia gorda e grande encalhada em uma praia de famintos, foi uma verdadeira farra. Pessoas tomaram cargos de lucrativas só porque tinham um sobrenome Pessoa ou alegavam ser aliados dele. Eita! foi demais. Assis Chateaubriand aproveitou a revolução para não pagar os empréstimos feitos nos bancos federais e Getúlio Vargas senta no trono em nome de João Pessoa e todos os seus aliados no Brasil foram tremendamente beneficiados com cargos de interventores. Muitos desafetos políticos eram ilimitados em nome de Jesus Cristo, paraibano como foi o caso do respeitável IMPUTADO E EX GOVERNADOR JOÃO SUASSUNA que foi morto pelas costas com um tiro de um covarde. Dinheiro sumiu casas saqueadas, lojas saqueadas em busca de provas duvidosas eram dadas pelo estado que causaram pobreza, miséria em todo estado, uma destas verbas foi uma OFERTINHA de muita significância dada aos aliados de Getúlio para ajudar a revolução de trinta. Verba para que é rico? Seria a mesma coisa de um pobre coitado assalariado de uma vultosa ofer¬ta para um deputado. Isto é coisa de louco. Os aliados de Joca sentaram no trono por muito tempo sem ter, todavia nenhuma oposição. Mas quem era doido para se opor a eles, logo alguém invo¬caria o nome de João Pessoa e vinha um ser desprezível e o fazia desaparecer. Os brucutus da política paraibana atropelavam qualquer um que se pronunciasse contra a sua bandeira de sangue e o nome da capital já que tinha os seus parentes bem empregados em cargos dados por Getúlio o amável golpista. O que eu acho absurdo, a aberrante é o fato de transformamos esta “Putaria política“ em heroísmo maravilhoso e eterno. Isto é um insulto a sua Inteligência e a capacidade de analise de cada paraibano. O que deveríamos fazer questão de esquecer hoje nos é estampado na bandeira e no nome de nossa capital. É se João Pessoa soubesse que morrer era tão lucrativo teria nascido morto. Realmente, para que lucraram e lucra muito, o santo paraibano João Pessoa é um santo mila¬groso e lucrativo. VIVA O LUCRO, SALVE O DINHEIRO glória a mamom gritam eles até hoje. Enquanto a bandeira paraibana em nossa cara o sangue e a luto não some de jp, mas de milhares de paraibanos alvejados pelas balas famintas de poder. EEEIIITTTTAAAAAA!!!!!!!!!






Logo após a morte de João Pessoa o terror se instalou na Paraíba. Tropas se deslocam para a cidade do Recife. Tropas se deslocaram para a cidade do Recife atrás de supostos culpados e uma multidão de soldados e mercenários se dirigiram para o interior do estado em busca de famílias importantes. Já existiam soldados a muitos dias no interior principalmente em Teixeira, Patos e ao arredor de Princesa. Era um verdadeiro terror e as noites eram sombrias e cheirava a sangue e morte. Pessoas desapareciam misteriosamente, casas invadidas e incendiadas depois de saqueadas pelos homens de jp. Os animais eram caçados para servir de alimento para as tropas assassinas, bois eram retirados dos cercados enquanto o dono olhava assustado, aterrorizado sem nada poder fazer. As tropas cheias de ódio tinham fome e as criações sumiam das cidades.
As noites tão lindas do sertão se tornaram sombrias e um misterioso silêncio assustava a todos. Folhas eram levadas pelos ventos e pés calçando botas pretas esmagavam a beleza noturna da flor sertaneja. Casais assustados escutavam qualquer barulho estranho deitados em suas camas de agonia; passos lá fora quem será? Serão “os macacos” de João Pessoa como eram chamados os soldados na guerra da época? Alguém bate na porta meu Deus quem será? Crianças andavam assustadas e pessoas mudavam o nome com medo de ser mais uma vítima do sistema. Pobres coitados com suas mulas ossudas eram saqueados no caminho em nome da lei. Que lei? Famílias corriam pelo serrado carregando crianças com suas bonecas fugindo da morte e das acusações de bajuladores que anunciavam através de fofocas as suas milhares de vítimas. Enquanto São Paulo chamava imigrantes de todas as partes da Paraíba expulsava as famílias nobres de seu seio deixando só os domináveis. Seria um extermínio étnico? Nas feiras eles estavam e os seus olhares nas patrulhas esfriavam os corações e vagarosamente joelhos batiam outro enquanto os dentes demonstravam tenso sorriso como se dissessem: negou ontem. Na capital há ainda a chamada de Parahyba pessoas eram obrigadas a se ajoelhar e perante o cadáver e JP e que não o reverenciar se era surrados em meio a todos, humilhados e alguns desapareciam. A noite nesses andavam como vampiro se lobisomens atrás de sangue para alimentar o seu ódio, quem era doido de sair nas noites da capital. Pessoas procuravam fugir ao amanhecer término terrivelmente à noite que viria. Criaturas cheias de ódio passeavam pela cidade seus corações obedeciam a um defunto que fez da morte seu troféu de glória. O cheiro do medo os atraía em bandos atacavam seus desafetos, seus olhos vermelhos pagavam rapidamente procurando culpados e seus ouvidos queriam uma desculpa, um fuxico para atacar em sem poupar ninguém. Os chefes recebiam sangue para satisfazê-los e seus capangas lobisomens surravam o povo, criaturas estranhas movidas Fiori se arrastavam sobre a nossa terra e de repente ouviram um grito: Um Dantas sumiu! Será que terá para ver pessoalmente a Paraíba nesta época?






Todos os povos da terra em todas as épocas e tempos elegeram símbolos para representá-los. Aquele símbolo representava a alma daquele povo, o espírito daquela civilização. Quanto mais antigo o povo e misterioso mais símbolos tinham exemplo: Os mais, Astecas, incas, egípcios, ubaidas, caudeus etc. Símbolos que iam desde uma simples figura até as maravilhosas linhas de Nasca. O inteligentíssimo povo chinês criadores de grandes invenções eles também utilizavam símbolos e bandeiras para diferenciar os seus clãs e os animais eram utilizados em larga escala para gerar os símbolos de seu espírito como o tigre, o macaco, a águia e o conhecido dragão. Símbolos fortes que demos travam forças, destreza, sabedoria, capacidade. Estas bandeiras eram desenhadas em couros, papeis e na própria pele do membro através de tatuagem. Nestes povos haviam e ainda há pelos símbolos que ostentam. Nestes símbolos eles apresentam o melhor de seu povo como, por exemplo, bravura.
Mas a Paraíba tem um símbolo não de orgulho, mas de tristeza, melancolia, uma bandeira pobre de milpes visionários que representa um tempo triste e já muito passado; que não deveria nem ser lembrado mais. A principal pessoa da revolução de trinta que muitos julgam importante, mas para nós uma manifestação de grande bestialidade: na foi João pessoa e sim Getúlio Vargas um gaúcho nato. Mas porque os gaúchos não mudaram a sua bandeira e o nome da capital para Getúlio Vargas? Seriam eles de pouca inteligência? A bandeira que não nos representa trata-se de um golpe de bajuladores e amantes do poder que testaram criar um herói que pertencesse ao seu partido, afinal quem tem um herói tem tudo. Este símbolo tem trazido azar para o nosso povo e nos prendido a um passado podre, pobre e sem razão de ser. Presos ao passado ninguém terá futuro e todos os paraibanos ao olhar a sua bandeira faz uma viagem astral para o mórbido mundo dos pessoaistas.
Um símbolo fúnebre que a qual não sobre a cabeça dos paraibanos sem tem razão de ser. Será que esse símbolo representar nossa inteligência? Será? será que o preto da bandeira representar nossa só que nasce primeiro? E o vermelho representar as nossas matas e pratos que são lindas? O nego representar vida alegre do povo paraibano. A bandeira da Paraíba é uma farsa cheia de mentiras e manobras políticas para favorecer alguns políticos que desejavam ser os seus membros defuntos honrados e endeusados como superior glória. Ô fala sério. A bandeira da Paraíba é a maior astuticia que já vi e nos traz uma denuncia de incapacidade mental de gerar um símbolo que represente a todos e não somente a um homem só supostamente herói. Isto não pode continuar, pois é um insulto a nossa inteligência como povo. O povo da pb deve saber que estão sendo enganados a muito tempo e que a sua bandeira não passa de mentiras e dramatizações de clãs do passado fedido e sem estrutura lógica do bem. Parem com esta maldição queremos uma bandeira verdadeira e não uma flâmula que faz propaganda de um homem só e de suas virtudes que nunca existiu. Parem com a farsa.






O movimento bandeira viva vem esclarecer a preciosa torcida da raposa e do mengão que o movimento luta para a mudança da bandeira da Paraíba porque esta representa um grupo político sanguinário que já foi extinto a aliança liberal e porque as cores da bandeira da Paraíba representam Luto, sangue e nego não tendo portanto nada com as cores destes dois preciosos times. As cores do campinense a querida raposa não representa luto e morte e sim raça, força. As cores destes dois times rublo negro não tem nada com as cores da bandeira da Paraíba que aponta para a aliança liberal que era vermelha. Em nosso movimento existem torcedores de diversos times entre eles raposeiros e flamenguistas.
As cores da bandeira da Paraíba trazem má sorte e uma idéia fúnebre porque foram feitas com esta intenção as pressas para exaltar a pessoa do presidente João pessoa. Ela aponta Para morte e em suas combinações trazem idéias do inferno vivido em 1929 e 30 com assassinatos de centenas de paraibanos pelo simples motivo de terem votado em outro candidato estranho a João Pessoa. É isto que queremos mudar, e a mentira do nego que queremos tirar de sobre a nossa cabeça e não as cores de times honrados como o rubro negro. O que combatemos veementemente não são os torcedores rublo negro, mas os mentirosos que através de suas mentiras se infiltraram em nossa bandeira é capital gerando uma espécie bizarra de “JESUS CRISTO PARAIBANO" e o que deveria ser esquecido por todos a bandeira como uma mortalha ao ar insiste em nos lembrar.






JN: Prof. Joilson qual é o objetivo do movimento bandeira viva?

JA – O objetivo é revelar aos paraibanos a verdadeira história em que a nossa bandeira e a capital do estado foi envolvida. A farsa que criaram o mito produzido sobre os nossos dois maiores representantes: A Capital e a bandeira.

JN – Prof. O senhor acha que realmente esta bandeira pode ser mudada?

JA - Sim tudo é possível ao que crer, cremos que esta bandeira é um símbolo de morte semelhante, a uma mortalha velha cheia de coisas fedidas do passado. É necessário mudar para que a nossa sorte não seja atingida por tão grande e sombrio negativismo.
JN – Porque esta bandeira continuou por tanto tempo?

JA – O poder que estabeleceu esta bandeira para si mesmo representar dominou por muitos anos e até o congresso fechou. Com tanto poder dominando e desta forma que ousaria dizer algumas coisas contra a bandeira deles. A população na época variava entre 75% de analfabetismo e a pobreza campeava por todas as partes. A terrível realidade da Paraíba só passou a mudar próximo aos anos oitenta. A falta de informação seria o medo de alguns privilegiados.


JN Qual é a principal motivo para se retirar a atual bandeira?
JA – A sua Mensagem de eterno luto, sangue, morte e nego nos traz um gosto ruim, um sabor de inferno, solidão, derrota incapacidade e não de vida. Por que o rio grande do sul não fez isto com o presidente Getulio Vargas, por que não mudou o nome da capital? Só alguns paraibanos bajuladores do poder fizeram está astúcia histórica nos concentrando a um passado sóbrio, quase infernal João Nunes – A bandeira da Paraíba seria histórica?

Joilson Assis – Histórica? Esta bandeira é um insulto a inteligência dos paraibanos e ostenta mentiras (Cabeludas) como, por exemplo, o nego que nunca existiu e os bajuladores sabem disto. A memória que a nossa bandeira clama é uma porção de mentiras fabricadas. Ela invoca o inferno que houve em 1929 e não nos pertence ela pertence a um homem chamado João Pessoa e a sua aliança liberal.
JN - João Pessoa é um herói?

JA: Só se para os dele nos chama atenção para um ditador e não um herói, pois heróis de verdade não matam o seu povo, mas os salva. Os caminhões de dinamites e aviões para destruírem seu irmão o denunciam. Os comandados surravam e saqueavam cidades inteiras, podemos chamar estas atitudes de heróica?

JN – A mudança da bandeira seria um ato útil mesmo?

JA – Sim evidentemente. Se a pintura de nossa casa é importante porque a bandeira que era para expressar a nossa vida não seria. Uma vez outra encontramos alguns acomodados que querem deixar como estar, alguns por não compreender outros por não ter coragem para pensar. A acomodação é defeito terrível, pois temos que mostrarmos a nossa capacidade. Ela é terrível e uma triste idéia que quem a fabricou. Querer mudar o símbolo máximo de nosso povo não é algo ruim, ruim mesmo é este símbolo de morte representar a nossa vida. Temos que mudar sim, pois já disse o sábio que quem não muda é tolo, pois o ser humano é um ser que vive em constante mudança.
JN - Qual é o recado final que o senhor deixa para todos?
JA – Vamos mudar, pois o único sangue que queremos sobre nós é o sangue de Jesus Cristo. Vamos tirar esta porta de morte de sobre a nossas cabeças e colocar algo vivo, uma bandeira viva. Despertemos para esta realidade e nos aliarmos em prol da vida e contra a morte que clama todo o dia que a nossa bandeira balance no ar. Vamos acreditar no que é bom e ele acontecerá.

JN – Professor Joilson se os paraibanos não quiserem mudar a bandeira?

JÁ – Sim somos democráticos ao contrário deles que nos imporam esta atual bandeira. Se a Paraíba não quiser mudar a bandeira que permaneçam com a bandeira mais sangrenta de todas do Brasil. O povo pode escolher a sua própria sorte.
JN – Sorte, o senhor acha que a bandeira da Paraíba traz azar?

JA – Sim fatos irão se repetir e mortes e não de vida. Existe uma tendência de fatos se repetirem, pois estão em evidência no símbolo deste povo. É como se chamássemos aquilo que estamos na nossa bandeira, nosso principal símbolo.
JN - Qual é o recado que o senhor passaria para os leitores desta entrevista?
JA- Revolte-se contra esta realidade sombria e melancólica, junte-se a nós e clame em alta voz: QUEREMOS UMA NOVA BANDEIRA QUE TENHA LUZ E NÃO TREVAS, amor e não ódio. Queremos uma nova bandeira.

JN – Obrigado professor pela entrevista.

JA – É UM PRAZER ser útil para todo o povo repassar aquilo que temos de melhor na mente, no mundo das idéias. Obrigado novamente que Deus abençoe a todos inclusive o movimento bandeira viva.






Para iniciar este comentário quero dizer que a crença em maldições é uma crença universal de TODAS AS RELIGIÕES que já existiram e que existem hoje. Dos primitivos índios da América do norte aos antiguíssimos mais, astecas do centro América do Sul. Nos primitivos egípcios a religião deles demonstravam estas idéias bem claras. Os falados sumérios até os ubaidas que existiram antes dos sumérios algo relacionado com a crença da benção da maldição era expresso. Os potentes e inteligentes impérios chineses, milenares também acreditavam em sorte, azar, bênção e maldição. Os japoneses tinham varias ritos Para afastar maus espíritos e o azar, as maldições. Por fim a religião judaica princípio do cristianismo também relatava diversas maldições e formas de atrai-las ou expulsa-las. A Bíblia está cheia de mensagens Para evitar esta realidade e notifica várias pessoas que foram amaldiçoadas como Caim filho de Adão, Cã neto de Noé e muitos outros. Estas maldições escritas na bíblia estão sempre associadas a ações e objetos como foi o caso de Acan que guardou uma capa sacerdotal na invasão de Canaã trazendo azar e destruição sobre todos. Nisto poderíamos acreditar que tantos objetos e as ações podem trazer azar, maldições para um indivíduo ou grupo. No antigo Egito objetos de grande energização negativa são acusados de amaldiçoados e de trazer a morte sobre seus descobridores. Muitos destes descobridores morreram misteriosamente como apontava a lenda causando grande temor nos arqueólogos.

Um objeto que seja carregado de ódio, rancor, lutos e sangue traz consigo uma energização negativista atraindo coisas e fatos segundo a sua própria natureza. A nossa bandeira foi declarada por quem a fez... Como objeto de rancor, e mágoa, eterna mágoa. Representa tristeza e nos liga a um passado ruim de mortes e assassinatos. Com certeza esta bandeira nada traz de bom no tocante a benção sobre o nosso povo. A Energia de nossa bandeira é negativa, melancólica e induz quem a ver a tristeza de uma morte, de um nego e de um luto. Como os psicólogos anunciam que existe o inconsciente individual ou coletivo e que neste ambiente oculto mensagens subliminares são repassadas. Nisto o nosso inconsciente é bombardeado todos os dias pela melancolia de uma morte que não foi por causa pátria. Evidentemente independente de religião todos de uma forma ou de outra acreditam em bênção e maldição como é que nós paraibanos permitimos esta astúcia em nossa bandeira. Há quem acredite que tanto o nome de uma rua até de uma cidade como é o caso da capital leva a carga do nome que recebe. Esta preocupação existia até em Deus, pois ele várias vezes mudou nomes para evitar DESTINOS. Foi o caso de Abraão, sarai de tornou Sara e Jacó foi transformado em Israel, Pai de nações. Isto ta na bíblia para nos orientar acerca desta realidade. Dizem que o nome Paraíba está associada a uma árvore, em outra ocasião a um braço de mar já que de Cabedelo a capital se chega a um braço de rio, o rio Sanhauá, o rio Paraíba. A Paraíba é um lugar abençoado e o único sangue que queremos sobre a nossa bandeira é o sangue de Jesus Cristo o nosso verdadeiro salvador e não sangue de revolução, de suposto herói um deus fabricado sem pé nem cabeça. Chega de nos associar a pobreza, a tristeza, a pouca inteligência, falta de oportunidades. Chega! Temos os nossos problemas, mas somos abençoados Por que o rio grande do sul não mudou o nome de sua capital para GETÚLIO VARGAS já que ele e não João Pessoa foi a figura principal? Cadê o sangue ou frase de Getúlio na bandeira do Rio Grande do Sul? Dê uma olhadinha na bandeira bonita. O Ato do partido de jp e da aliança liberal amaldiçoou a pb, pois ligou o seu principal símbolo, a bandeira, a morte, luto a negatividade de um passa fedido e inútil com perca de milhares de vidas. As correntes desta bandeira influencia o nosso presente e futuro, pois liga a nossa existência a estas três coisas, Morte , Luto e nego. Que tristeza será que os PB não se despertam para esta triste realidade. A Bandeira representa o seu povo desde que mundo é mundo. Os hebreus levavam tão a seria isto que até os condenados a guerra eram executados fora dos muros de Jerusalém no lugar chamado caveira. Mas não fizemos assim, um grupo de políticos colocaram a morte na BANDEIRA o que é pior ainda. Seria a mesma coisa de alguém colocar uma mortalha como bandeira sobre a sua casa. Temos que acabar com esta maldição para que haja em nosso estado clima de vida que produz vida.
A bíb1ia é cheia de símbolos que provocam diverso resultados nos outros, resultados bons e ruins dependendo do símbolo que lhe é exposto. A Bandeira seria um símbolo chamando enquanto balança no ar coisas de sua própria natureza. De fato coincidência ou não a Paraíba andou cambaleante até meados de 1980 aonde Parecia que todas as pragas vinham sobre este estado. Ninguém ligava, mas a bandeira da pb é símbolo de muita coisa ruim. Pense por você mesmo se representatividade é justa e ate quando continuaremos com ela. Será que foi acomodação ou medo que fez muita gente cala-se perante esta aberração histórica de pobres lembras? Negatividade e morte esta é a representativa da Paraíba, não aceite este mal e não fique quieto vendo esta aberração. Será que recordes da antiguidade depois de 1930 como: Taxas altíssimas de analfabetismo número elevadas de doentes psiquiátricos em internação, improdutividade, pobreza extrema tem alguma coisa com a bandeira que temos? Será? A bandeira seria uma espécie de invocação do inconsciente coletivo e do mundo espiritual de coisas ruins? Como um despacho, uma vela atrai os espíritos a bandeira atrairia o que seu conteúdo expressa? Acho que sim, pois a vida é cheia de códigos. Como Deus mudou os nomes dos antigos para mudar a sua sorte devemos mudar o nome desta capital que outrora chamava-se Paraíba e mudar também esta bandeira que antes invocava a luz sobre todos hoje invoca a morte e o luto eterno. A Associação das cores e da idéia da bandeira a TORNA MACABRA, COMO ALGO DE TERROR MANIFESTO AO AR. Olhar Para a bandeira da Paraíba é trazer a memória morte, sangue e luto, temos que sair desta roubada de má sorte, pois o nosso estado é abençoado e não vive em eterno luto. Revolte-se contra esta maldição proferida e desenhada em nossa bandeira, temos que sair desta invocação de coisas más. Seja uma manifestação do inconsciente que se influencia através de símbolos ou maldições espirituais como todas as religiões julgam existir, temos que tirar esta idéia fúnebre do nosso principal símbolo A BANDEIRA.

A humanidade é cercada de símbolos e antes de existir as siglas, eles já eram usados em muitas civilizações. Como o branco representa a paz, o preto ausência de luz representa o luto, a espada a guerra, a pomba a paz etc. Até Deus utilizou símbolos para representa-los como a arca da aliança representava a sua presença, o cordeiro a Jesus Cristo. Mas porque um pássaro como o urubu não representa o espírito santo, porque a natureza do urubu não condiz com a natureza pura e santa do Espírito Santo. Desta forma os símbolos estavam sempre associados a natureza daqueles que o representava. Mas uma bandeira FUNEBRE poderá representar a virtude de um povo? Queremos ter vida, mas ostentamos um símbolo de morte como é a nossa bandeira. Que Deus abra a mente dos PB para esta realidade, pois precisamos ostentar com fé e orgulho uma bandeira viva para uma PB viva.




A bandeira da Paraíba não é uma bandeira histórica e sim pré-históricas cheias de atitudes de políticos das cavernas que faziam do seu revolver seu principal discurso.